terça-feira, junho 28

DIÁRIO DE UMA BISSEXUAL - O INÍCIO VII

No episódio anterior...

Como já disse aqui, alguém resolvera dar um pequeno passeio nocturno pelo parque. Eu adoro passeios, apreciar a natureza ou algo do género…principalmente se estiver bem acompanhada.
Acredito realmente que nenhum de nós se apercebeu do momento em que nos afastamos do resto do grupo. Estávamos tão absortos na conversa! Demasiado concentrados um no outro. Sou uma pessoa curiosa. E sim, falo muito. Falamos uns bons minutos, eu quase que juro que estivemos uma hora a passear e falar. E admito que, quando finalmente nos apercebemos que nos tínhamos afastado do resto do grupo não nos atormentamos nada com isso. E, óbvios dos óbvios, sabendo o que ele agora pensava de mim, não o podia deixar escapar…Que querem que diga? Sou carne demasiado fraca para prato tão divinal. 
Paramos num banco de jardim e resolvemos sentar-nos mesmo debaixo de uma árvore. Ouviam-se vozes ao longe, alguém a jogar á bola, mas ver….ver não se via absolutamente ninguém por perto. E sem estar com rodeios, a meio da conversa, levantei-me, encostando-me á árvore, a admirá-lo com um olhar provocador. 
- Tu desejas-me…. - Confrontei-o.
- Sim - admitiu. 
E então lancei a pergunta.
- É por isso que neste momento eu estou aqui de pé e tu aí sentado a admirar-me? - Ele percebeu o recado. Para bom entendedor….
Levantou-se e aproximou-se de mim, enlaçando-me pela cintura para me apertar contra ele.
-És danada - sussurrou-me ao ouvido. E seguiu-se um beijo tão fogoso e erótico que até eu me arrepiei e não resisti a apertar-lhe o membro já teso que ele não conseguia esconder mesmo com as calças largas. 
by Google
Sim…eu não perco tempo com romantismo desnecessário.
Ele encostou-me contra a árvore e não descansou enquanto não acariciou todo o meu corpo. Começou pelos meus seios, com os bicos já tesos, massajando-os por cima da roupa com voracidade. Enquanto isso, ia lambendo o meu pescoço. Sentia a sua língua húmida a desenhar o meu nome. Aquele homem era fogo! Eu continuava com a mão na braguilha das suas calças. E com uma vontade enorme de as tirar. 
Foi quando ele me levantou no ar e eu prendi-o entre as minhas pernas. Graças a Deus que levei minissaia! Ele roçou-se em mim, simulando a penetração, deixando-me completamente maluca e ofegante. Puxei-o para mim e mordi-lhe o lóbulo da orelha. Estava a deixar-me esfomeada. Possuída. Fora de mim.
E com uma mão ele desapertou as calças. 
E com essa mesma mão, tirou para fora o seu membro lindo e delicioso. 
Duro. Enorme. Robusto. Todo para mim. 
E com ela, enterrou-o todo dentro de mim. Só me apetecia gritar de prazer. Gritar que me possuísse á bruta. Me comesse. Me devorasse como se não houvesse amanhã.
Não que ele não o estivesse a fazer. Fodia-me como um animal no cio. Completamente cego de desejo, a deixar-se levar pelos seus instintos primários de sexo.
E ainda o ouvi dizer baixinho «Que se dane a consciência».
 Se antes pensara não trair, naquele momento ter-me era a sua prioridade. 
E eu ia sentindo as suas investidas fortes assim como ia sentindo as minhas costas a roçarem o tronco da árvore. A dor misturava-se ao prazer e era delicioso! 
Ele parou e pediu para eu o chupar. Acabam todos por pedir-me isso… 
-Sempre me perguntei como serias a chupar- confessou. 
Bem, não ia deixá-lo morrer sem saber. Ou casar sem descobrir. Encostou-se á árvore e eu ajoelhei-me. Não existe um ditado que diz “se ajoelhou vai ter que rezar?”, pois eu rezei. Abocanhei-o todo, com vontade, e fui chupando como quem chupa um gelado. A minha língua ia fazendo movimentos circulares de baixo a cima. Ia lambendo a ponta até a mergulhar na minha boca. E ele ia pedindo mais e mais. Estava doido.
-Quero vir-me nas tuas mamas - pediu.  
E eu deixei que ele espalhasse o seu esperma pelos meus seios. E lambi cada pedaço dele. Cada gota. 
Sim, acabei por não me vir. Mas não me importei. Tinha cometido a sacanice do dia.
No final, demos um jeito na aparência e decidimos descobrir onde estava o resto do grupo. Pelo caminho ia provocando-o com palavras. Mas não repetimos.
Entretanto ele casou. É feliz. Mas de vez em quando encontramo-nos na rua e ele sorri. Um sorriso cúmplice. E com a esposa ao lado. E realmente adoro-a. Uma loira estonteante. Mesmo o tipo de mulher com quem sempre o imaginara. Continuamos a falar de vez em quando e creio que ele foi dos únicos rapazes com quem realmente tive prazer de foder. Simplesmente pelo facto de saber que ele não queria casar sem me ter. Por ser a sua fantasia…
Ainda existem homens por aí que davam tudo para poder entrar numa página deste livro mas não posso aceitar tudo. Sou fresca, admito. Mas se eu não o fosse teria tido a vida que tive? A diversão e excitação que muitas procuram? Duvido…
Nessa mesma semana (a terceira desse mês) existiu outra pessoa. É verdade que não somos todos iguais, cada homem é diferente, mas acredito que numa outra vida, Tiago e André (o seguinte) poderiam ter sido irmãos…feições parecidas e até no sexo. Selvagens. 
André realizou a minha desejada e sórdida, mas ao mesmo tempo romântica, fantasia de praticar o sexo numa sala de cinema.
Nome do filme:  
E lembro-me do momento como se fosse ontem…

7 comentários:

O Santo Diabinho disse...

Miss B

Pergunto-me como é possível só hoje ter descoberto esta relíquia de Blog...

Excelente encontro :)
Vou seguir e cuscar com muitaaaa atenção...

Prepara-te...
;)

Bjs

Miss B disse...

Diabinho, mais vale tarde k nunca. sê bemvindo

O Santo Diabinho disse...

Miss B

Uma ENORME falha da minha parte, peço mil desculpas por não ter encontrado o teu cantinho mais cedo.

Possivelmente a coisa mais doce que encontrei nos últimos meses...

;)

Bjs

Miss B disse...

Santo Diabinho, pronto tem lá calma. para m compensares basta cá vires sempre

«_FP_» disse...

fantastico :D:D

mais uma vez lool

beijo

Coelho Doido disse...

um dia sou eu que te vou contar umas historias minhas...

são parecidas, so que no meu caso eu sou o protagonista beijos

Provoca-me disse...

O rapaz é fresco também, mas tu és mais. Brutal, que tesão, que excitação, sedução e muita aventura.
Já o Carlos Moura diz que o calipo é pedagogia. Que as mulheres podem treinar...

Quem não me perde de vista

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Política de Privacidade

Conteúdo administrado e recebido por Miss B e Sexo e Cenas. 1. Nenhuma informação pessoal dos meus visitantes é comercializada e/ou trocada com terceiros. Os dados fornecidos por eles em qualquer forma de contado, não são repassadas para nenhum outro. 2. Também não são utilizados os dados, como e-mail, para distribuir mensagens não solicitadas e/ou em massa. Os e-mails dos usuários não são armazenados em listas e só entro em contato para responder dúvidas e/ou agradecer visita/contato/solicitação/ajuda/informação e apenas uma única vez. Parte de um e-mail de contato pode ser usado como referência para compor artigos e tutorias e cito a pessoa que enviou. Mas antes entro em contato avisando da possibilidade daquele e-mail ser usado como fonte e solicito previamente autorização para usar o nome e link de quem escreveu. 3. Apenas os comentários nos artigos ficam visíveis para todos os demais visitantes do blog Sexo e Cenas. Os comentários são previamente moderados por mim como administradora do blog Existe uma Política para Comentários e recomendo que leiam: Os comentários são Moderados. Todos os comentários recebidos são previamente lidos. Só são publicados os comentários que eu, administradora, considerar adequados para o artigo em questão. Apesar das regras descritas acima, nada garante que o comentário seja publicado, pois reserva-se o direito de não aplicar as regras aqui contidas sem aviso prévio e estas são apenas uma baliza de orientação para quem desejar expor sua opinião. Tenho em vista, claro, os comentários que podem ser relevantes e que valorizam o meu trabalho. Não tendo interesse em publicar nada que ofenda o blog, nem que seja uma crítica impertinente ou desnecessária. Nos comentários só são aprovados textos que valorizam o que faço e que podem ajudar outras pessoas. 4. Os links e banners de parceiros são selecionados segundo a Política de Conteúdo do Blogger. Disponho os elementos dos meus parceiros por solicitação deles e, daqueles que não solicitaram, envio pedido prévio com aviso indicando que serão linkados neste blog. Ao receber a aprovação destes coloco a informação num local visível do blog. Aos que não solicitaram parceria, mas têm seus links/banners publicados aqui, faço-o como forma de indicação do serviço prestado por eles e por assim permitirem ou indicarem essa possibilidade em seus sites/blogs. Obs.: Não me responsabilizo pelo conteúdo dos meus parceiros e espero que estes estejam em total acordo com as regras de utilização do Blogger e dos seus outros parceiros. Conteúdo de terceiros. Tenho parceria com empresas de publicidade virtual – como o Google AdSense – que se utilizam do sistema de publicidade contextual, mas podem usar de outros recursos para determinar que tipo de publicidade veicular neste blog. Não controlo aquilo que eles disponibilizam. Este blog, pode ou contém imagens, vídeos ou outros, com conteúdos de nudez parcial ou total, não aconselhavél a menores de 18 anos. O acesso ao blog, por parte de menores é estritamente proibido, o seu acesso é da responsabilidade dos intervenientes ou seus encarregados de educação. Parte do conteúdo é retirado da internet e outro recebido por mail sendo esta última via difícil de controlar de onde vem o conteúdo, Autor, Site, Blogue, ou outras fontes. Sou contra a pratica do plágio, se detectar algum conteúdo da sua autoria em parte ou na totalidade postado neste blogue e que comprove que é seu legitimamente o mesmo será removido na hora. Para isso basta contactar-me. Mais, todo o conteúdo deste blogue é meramente ilustrativo, sem qualquer carácter comercial. Sexo e Cenas, ainda condena todo o tipo de conteúdo sexual, onde sejam utilizados menores de 18 anos, bem como ao incitamento de terceiros para tais práticas. Mais, Sexo e Cenas exclui-se de qualquer responsabilidade de qualquer link que directa ou indirectamente, redirecione para páginas de pedofilia ou outras em que se promova ou se visualize o abuso sexual de menores. Qualquer semelhança aqui reproduzida em forma de textos ou outras com a realidade, são pura coincidência.